9 de mar de 2010

O Início da Vida Após a Morte

Sempre lendo e debatendo sobre assuntos religiosos, me pergunto freqüentemente qual seria a origem de certos fundamentos comuns a todas as religiões, como a vida pós-morte.

A tendência do pensamento ateu é achar que a idéia de vida após a morte é na verdade uma espécie de covardia. Ou seja, apenas mais uma história bonita para que as pessoas não tenham que encarar de frente o fato de que a morte é inevitável. Mas quando uma pessoa de quem você realmente gosta morre, fica fácil entender de onde vêm essas idéias.

Não é a apenas a noção popular do conforto. Até porque o fato de você "saber" que a pessoa querida está no "paraíso", ainda que você acredite que ela está olhando por você, não é tão reconfortante assim. Afinal ela continua inacessível e nunca mais vai existir nesta realidade em que vivemos.

Mas quando as pessoas próximas daquela que faleceu se reunem, mesmo após alguns anos, é inevitável citar o nome daquele que esteve junto tantas vezes, em tantas histórias. Ao ouvir uma piada você lembra que foi ele quem contou pela primeira vez (e já não tinha graça). A conversa passa por muitos assuntos e cada um lembra silenciosamente da opinião daquela pessoa sobre algo que está sendo dito.

Quando todos na roda de amigos o conheciam, todos sentem a sua falta e todos lembram da voz, do jeito, das piadas, das histórias... É como se ele estivesse ali. Há um sentimento muito forte de que a pessoa não se foi realmente, mesmo naqueles que presenciaram o enterro e sabem que aquele que se foi voltou a um pó que em breve fará parte de outros seres, outras vidas e outras lembranças.

3 comentários:

Frederico Pissarra disse...

Viu isso?

http://wp.me/pqUGi-RZ

Do "The Thinking Atheist" :)

Frederico Lamberti Pissarra disse...

Ahhh... tb coloquei lá proce:

http://ejungle.wordpress.com/2010/03/12/o-evangelho-do-monstro-de-espaguete-voador/

[]s
Fred

Anônimo disse...

Belo texto. Parabéns. João

Postar um comentário