19 de dez de 2009

O Alto Nível da TV Brasileira



"É interessantíssimo, porque é um debate que vai fazer você pensar em casa".

Com certeza vai fazer você pensar em vender sua TV.

Uma luz em Titan

Já se acreditava que Titan, a maior lua de Saturno, poderia conter líquidos em sua superfície. No entanto o hemisfério aonde ficariam os prováveis lagos estava num inverno escuro, de modo que a sonda espacial Cassini (em órbita de Saturno há 5 anos) não podia confirmar a existência destes líquidos.

Com a mudança de estações, a luz do sol voltou a alcançar aquele hemisfério e ontem (18/12/2009) o site da NASA divulgou esta foto:



A imagem mostra uma fina atmosfera e raios solares refletidos na superfície líquida de um lago.

A busca por água fora da terra é considerada tão importante porque em todos os lugares na terra aonde há água foi encontrada alguma forma de vida. É claro que todo este líquido de Titan é apenas metano, mas ainda assim esta lua de Saturno é até agora o corpo celeste mais parecido com a terra já encontrado.




Mapa dos lagos de metano obtidos pelo radar da sonda Cassini


Portanto para aquele cenário apocalítptico aonde teríamos de empacodar as coisas e sair de mudança porcausa da destruição da terra, até agora na órbita de Saturno está nossa melhor opção.

8 de dez de 2009

Abraçando Como um Cristão

Escrevi sobre esse video:


O vídeo não mereceu ser legendado


Para um pouco depois descobrir que a música realmente é uma sátira com o ato de "abraçar de lado" de certos cristãos americanos.

Realmente foi uma apresentação num retiro evangélico na Califórnia aonde cada pessoa na platéia pagou 35 dólares para estar lá. A organização do evento de fato promoveu a apresentação como parte do esforço para inibir todo tipo de demonstração de afeto.

O refrão diz:

"Me dê aquele abraço cristão de lado,
aquele abraço cristão de lado"


Claro que a maioria dos cristãos não é assim tão pervertida a ponto de ter de evitar abraços por medo de uma ereção. Este tipo de show acontece na primeira noite de retiro, pra deixar os jovens já no clima celibatário, já que dessa forma fica mais fácil manter a ordem durante um fim-de-semana inteiro de lavagem cerebral.

Este tipo de evento é patrocinado pelo mesmo grupo nos Estados Unidos que quer substituir a educação sexual nas escolas por uma doutrina de abstinência total até o casamento (o que já foi até piada no Family Guy).

Detalhe para o fato de que um dos versos da música é:
"I`m a rough rider filled up with Christ`s love"

Que significaria algo, a grosso modo, como "sou um cara durão (rough rider), preenchido pelo amor de cristo". Mas conhecendo uma famosa marca de preservativos, dá de entender o que o autor da letra realmente queria dizer.

7 de dez de 2009

2 de dez de 2009

Olavo de Carvalho, um Revolucionário

Toda vez que me proponho a escrever sobre as falácias de Olavo de Carvalho me deparo com a dúvida: por onde começar?

Vai ser por este vídeo:



1) Símbolos Religiosos em Locais Públicos

A expressão "Locais Públicos" no enunciado é tão mentirosa quanto a afirmação de Olavo: "Se você estiver entrando com uma bíblia num prédio público você estaria cometendo uma infração".

O que o ministério público realmente queria era a "retirada de crucifixos e bíblias das repartições públicas". O que significa que nenhum espaço pertencente ao estado deve ostentar um símbolo religioso como sendo uma expressão da posição religiosa daquele local.

Ora, se um lugar que pertence ao estado mostra um símbolo religioso - ou ateu - o que isso diz para a população que utiliza o serviço que oferecem ali? Que esta é a posição do estado! Mas não era para o estado ser laico?

Se você tem um restaurante, por exemplo, continua podendo exibir na parede quantos crucifixos quiser (quem não gostar que vá comer em outro lugar). Da mesma forma se você é um cidadão (entrando naquela mesma repartição pública) pode exibir em suas mãos quantas bíblias puder, porque nos dois casos estão sendo expressos pontos de vistas religiosos individuais e não governamentais.

Olavo continua: "É natural a presença de símbolos religiosos cristãos num país de formação cristã."

Esse argumento continua no nível do esforço linguístico para se negar a ver o óbvio. Mas tudo bem, então a definição de estado laico está sendo mudada de um estado imparcial quanto à religiosidade para um estado que expressa a religião sobre a qual foi formado.

Ao falar em "formação cristã" está implícito que se considera que o país só foi formado com a chegada dos portugueses, assim como está implícito que o autor da frase não considera as religiões indígenas ou africanas como parte da formação cultural do país.

Fora o fato de que os símbolos mais comuns são símbolos apenas católicos, e não cristãos.

Todo cristão (católico ou não) deveria lutar para que se retirassem os símbolos destes locais públicos. Assim estaria assegurando que se num futuro outra religião se tornar marjoritária no país, esta também não terá o direito de se manifestar em lugares que pertencem ao estado.

2) "Esse é um dos muitos casos em que esse pessoal revolucionário..."

Essa afirmação se enquadra naquela clássica analogia da torcida de futebol: uma rádio entrevistou várias pessoas sobre a posição da arbitragem perguntando se achavam que o juíz errou por ser humano (e naturalmente cometer falhas como qualquer um) ou se cometeu uma falta proposital para favorecer o dime adversário.

Quase todos afirmam que foi proposital, caso contrário não poderiam continuar direcionando toda a raiva da derrota para o juíz através de palavrões, insultos e etc.

Esta é basicamente a posição de Olavo de Carvalho em relação a qualquer discordante. O opositor é sempre um mentiroso, imbecil, revolucionário, etc. Afinal de contas, se não encarasse desta forma, Olavo seria obrigado a ver que seus antagonistas são pessoas que escrevem, estudam e acreditam no que dizem do mesmo jeito que ele próprio. Assim ele teria que admitir que as pessoas que ele tanto xinga na verdade são colegas na atividade de buscar respostas.

Olavo usa a palavra "revolucionário" como algo pejorativo porque uma de suas idéias mais conhecidas é "a mente revolucionária". O filosofinho usa esta expressão para classificar alguém que possui uma "doença mental" que distorce a visão de um sujeito de tal forma que ele acaba perdendo a noção de realidade e tendo seus valores morais completamente invertidos.


3) Casamento Homossexual Não é um Direito Conquistado

Mesmo se tratando de um homem com a lógica pífia de Olavo de Carvalho, é difícil entender como ele considera isso um argumento válido.

Ele se diz um "contra-revolucionário", e define contra-revolução assim:

"A essência da mentalidade contra-revolucionária ou conservadora é a aversão a qualquer projeto de transformação abrangente, a recusa obstinada de intervir na sociedade como um todo, o respeito quase religioso pelos processos sociais regionais, espontâneos e de longo prazo, a negação de toda autoridade aos porta-vozes do futuro hipotético."

Eu gostaria de saber destes contra-revolucionários se eles ainda acham que mulheres e negros não devem votar. Se ainda acham que o casamento interracial não deve ser reconhecido oficialmente. Porque estas foram transformações abrangentes exatamente do tipo contra as quais Olavo está lutando.

E claro, ele luta de um lado enquanto os que lutam de outro lado são aqueles revolucionários. Ateus, homossexuais, comunistas, pessoas que lutam pela descriminalização do aborto e das drogas, ambientalistas... todos doentes mentais para este que se proclama o maior (e único) filósofo brasileiro.


4) A Laicidade do Estado Diz Respeito Apenas à Força Militar

Se essa era a definição de estado laico há 400 anos atrás, qualquer pessoa pensante percebe que não é mais a concepção atual. No senso comum, laicidade significa separação entre igreja e estado.

No dicionário português Priberam:

laico
(latim laicus, -a, -um)
1. Que não pertence ao clero. = leigo
2. Que não sofre influência ou controlo por parte da igreja (ex.: estado laico).
3. Que ou quem não fez votos religiosos. = secular


Aliás, a própria constituição brasileira discorda de Olavo de Carvalho:

      Artigo 19.

      É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

      I – estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na formada lei, a colaboração de interesse público;

27 de nov de 2009

Mr Deity e o Livro (Episódio 9)

Episódio 9 da primeira temporada de Mr Deity (Sr. Divindade). Pulei a tradução do 1 para o 9 pois conforme mostrou o blog Lost In The E-Jungle, outro usuário do youtube já havia traduzido até o episódio 8.

Neste episódio 9, Mr Deity e Larry estão olhando para esta placa:


"Sentindo-se perdido? Deixe que meu livro o guie" -Mr Deity
(numa livraria perto de você) [na bola azul]







Curiosidades do Episódio:

1) Segundo o criador da série, Mr Deity está usando um colar que significa "Sorte" em chinês (não é um pentagrama, como o pessoal achava) pois sorte é a força-guia do universo do Divindade.

2) Neste episódio eles estão falando extremamente rápido porque no meio das filmagens, uma mulher apareceu dizendo que ali era propriedade privada e que iria chamar a polícia.

Mal sabia ela que estava fazendo o trabalho de tradução de um carinha no Brasil se tornar muito mais difícil.

25 de nov de 2009

Como Ricky Gervais Se Tornou Ateu

Ricky Gervais foi o criador da série "The Office". Participou de filmes de comédia como "Noite no Museu" (e a continuação) e "Cidade Fantasma".



Nesta entrevista ele fala em piadas como se tornou ateu.



PS.: Atingimos a marca de 1000 views nos videos legendados. Mais uma vez obrigado a todos!

24 de nov de 2009

LHC Funcionando Novamente

Neste último fim-de-semana, cientistas conseguiram fazer feixes de prótons voltarem a circular pelo anel de 27 quilômetros do Grande Colisor de Hadrons (LHC).

Em setembro de 2008 o LHC sofreu um grave acidente. Desde então os cientistas passaram os últimos 14 meses reparando o ocorrido e instalando novas medidas de segurança.

O LHC já está colidindo prótons, mas ainda numa velocidade muito baixa para que sejam geradas novas partículas, o que é o objetivo principal do projeto. A colisão na velocidade ideal só acontecerá apartir de 2010.

Mesmo cientistas de outras áreas vêem uma importância gigantesca no funcionamento do LHC. Richard Dawkins chegou a chamar o projeto, em uma brincadeira durante uma das palestras organizadas por sua fundação, de Large Hard-on Colider (grande colisor de ereção).

Mas quem tem um interesse ainda maior no projeto é o físico Stephen Hawking. Por ter proposto a Radiação Hawking, emitida durante a "evaporação" de um buraco negro, o cientista teria sua teoria indubitavelmente comprovada no caso de o LHC realmente produzir um buraco negro, como acontece no filme Anjos e Demônios.



"Se o LHC produzisse pequenos buracos negros, não penso que haja qualquer dúvida de que eu ganharia um prêmio Nobel, se eles mostrassem as propriedades que eu prevejo [..] No entanto, acho que a probabilidade de que o LHC tenha energia suficiente para criar buracos negros é menor do que 1%. Então, não estou contando com isso.", afirmou Hawking numa entrevista à BBC.

Referências
Artigo de hoje na Nature
Artigo da BBC

23 de nov de 2009

Barbixas - Valeu a Pena

Sexta-feira passada fui ao teatro ver os caras que são hit no youtube:



Além de rir muito, foi impressionante ver ao vivo a capacidade de raciocínio dos caras sempre inventando piadas rápidas e respostas afiadas.

O mais impressionante em ver os caras no teatro (que é como os videos do youtube, mas muito melhor por ser ao vivo) é ver que não há qualquer possibilidade de que as piadas tenham sido ensaiadas.

As platéia participa o tempo todo e todas as piadas giram ao redor das reações do público.

Ainda bem que comprei o ingresso com quase dois meses de antecedência, porque uma semana antes do show já não tinha mais ingresso em lugar algum, pra nenhuma das seis apresentações que aconteceram na minha cidade.

20 de nov de 2009

Mr Deity e o Mal (Episódio 1)

Mr Deity é uma série no youtube que tem ficado famosa pelas piadas com o conceito bíblico de deus e todas as outras baboseiras relacionadas a isso.

O ator que faz Mr Deity é o criador da série, e se tornou ateu depois de anos como mórmon.

A tradução do nome "Mr Deity" seria algo como "Senhor Divindade", mas como não sou muito a favor de traduzir nomes próprios (ainda mais quando são o nome da série), deixei nas legendas como "Senhor Deity" mesmo.

Este é o primeiro episódio, mas a série já está na terceira temporada. Os próximos episódios serão mais divertidos.

Apartir de agora teremos pelo menos 1 episódio legendado por semana aqui no blog.

19 de nov de 2009

Não, Não Estou Competindo

Já que vivemos num país com esta mentalidade primitiva, matuta e nazista de classificar meticulosamente o indivíduo de acordo com cada detalhe visual, tive a idéia de um novo acessório rotulador.

Não que se despreze a importância da imagem. É óbvio que em ambientes competitivos (como na disputa por um emprego ou na balada atrás de um(a) parceiro(a)) a imagem é uma ferramenta de conquista poderosa, e apartir disso toda a conseqüência no mundo da moda e na indústria de roupas e acessórios é plenamente compreensível e aceitável.

O problema não é a rotulação, que é apenas uma reação natural e necessária para a sobrevivência em sociedade. A primitividade começa quando ela passa a amplificar detalhes resultando em maus tratos e obstáculos sem sentido.

Então já que é pra etiquetar cada um, vamos fazer de acordo com um critério que seja realmente importante. Cada um usará um lenço de cor verde ou vermelha.

Aliás só um lenço no pescoço é pouco. Será lei: todas as cores das suas coisas (carros, roupas, máscara pra combater o mal) estarão sempre combinando com o verde ou com o vermelho (de acordo com sua classificação) ao estilo Power Rangers.



Assim, quando eu estiver dirigindo minha moto verde e buzinar para um carro vermelho que vira à esquerda sem sinalizar, o motorista vai olhar pelo espelho e saber que eu queria dizer "cuidado cara, você virou sem sinalizar" e não o habitual "seu barbeiro filho duma puta! Vai aprender a dirigir essa porra direito [porque eu dirijo muito melhor que você]!".

Então o agressivo condutor, ao invés de buzinar ainda mais alto, colocar o dedo do meio pra fora da janela e ir parando o carro pra ver se vou atrás dele querendo brigar, vai ver o meu verde explicando que eu não ligo se ele corre mais, não ligo se ele dirige melhor e muito menos se o carro dele é mais caro.

Do mesmo jeito, quando eu fizer um comentário ou crítica a um amigo ou colega de trabalho, ele vai ver a cor do meu uniforme dizendo "não, não estou competindo", e vai entender que não estou pisando nele para me sobressair, mas só falando sobre aspectos que acredito que devam ser mudados. O que nem sequer implica que eu me considere melhor que ele nestes mesmos aspectos.

Meu colega vai saber que não precisa se defender com todas as armas do meu comentário como se eu estivesse procurando um ponto fraco para enfiar uma facada, e então talvez ouça e tente entender o que eu estou dizendo, do mesmo jeito que eu fiz quando ele estava falando antes de mim.

Assim essa massa competitiva, que por um impulso desesperado e constante para se destacar acaba ostentando até suas piores mediocridades como se fossem troféus, não vai mais torrar meus ouvidos numa ginástica verbal para mostrar que o pai ganha mais, o cachorro come mais, que sabe mais do cantor, do autor, do filme, etc.

Afinal, nem mesmo crianças continuariam se esforçando tanto para vencer uma corrida na qual o oponente nem sequer está tentando correr.

17 de nov de 2009

16 de nov de 2009

Richard Dawkins Explicando o Ateísmo

Richard Dawkins falando sobre ateísmo numa entrevista na CNN.

Legendei este video pelas coisas que ele fala, mas realmente não gosto deste tipo de entrevista. Que aliás nem dá pra chamar de entrevista, é mais uma babação de ovo generalizada, o que se encaixa bem no jeito infantil de debater os assuntos das emissoras de TV das Américas (do Norte e do Sul).

14 de nov de 2009

George Carlin - Gritando Lá Debaixo Para Nós

Como hoje é meu aniversário, fiz uma homenagem a mim e reuni alguns videos de George Carlin (é, porque eu era fã dele). Os videos abaixo estão em ordem cronológica.


Acho que todos (ou pelo menos quem viu o primeiro Zeitgeist) conhecem a clássica de George Carlin sobre religião. Este video é um pedaço do espetáculo "Vocês Estão Todos Doentes", aonde Carlin falou por uma hora para o Teatro Beacon lotado em New York City, em 1999.


(o som está alterado e alguns erros de português... não foi legendado por este blog)

Nesta participação no programa de Bill Maher (do Religulous), George repete novamente algumas de suas idéias sobre o sistema político americano. Aqui ele prova que o fato de você ter pensamentos incomuns contra o sistema e falar destas idéias em voz alta, não faz de você um exilado intelectual.





Nesta entrevista, em 2007 (este video é apenas um pedaço), George fala sobre o início de sua carreira e como o movimento hippie e toda sua contra-cultura, o ajudaram a conhecer a si mesmo e o fizeram dar um direcionamento mais sincero ao seu trabalho.




Em março de 2008 George Carlin apresentou o espetáculo It's Bad for Ya ("É ruim procê"). Este show aconteceu apenas 4 meses antes de sua morte, e mostra como Carlin ainda estava perfeitamente lúcido e afiado como sempre, falando coisas hilárias sobre envelhecer, lidar com pessoas chatas, lidar com a morte e muito mais.

Neste trecho George fala sobre a morte. Com certeza fala disso apartir da experiência própria, já que vivenciou em 1997, um dia antes do seu aniversário de 60 anos, a morte de sua esposa Brenda após um casamento de 35 anos.





George Carlin nunca suavizava suas críticas ou palavrões, no entanto até o fim de sua vida foi ouvido e assistido por milhares.

6 de nov de 2009

2012, o Fim Do Mundo... Denovo?!

Na última edição do meu gibizinho nacional predileto, saiu uma reportagem de capa sobre o novo fim do mundo:



"Porque o apocalipse assombra as pessoas"... Como assim?!

Se isso realmente apavorasse as pessoas, a ponto de merecer ser o destaque de capa numa edição semanal da revista de maior repercussão do país, teríamos visto em 1998 uma dose razoável de pânico.

Afinal, estávamos prestes a entrar na profecia do fabuloso Nostradamus, que nos avisou que o mundo acabaria com o chegar do ano de 1999. Se as pessoas estavam realmente tão assombradas, porque todos continuaram trabalhando, estudando, tocando suas vidas tão normalmente?

Fora um ou outro maluco que resolveu se isolar na montanha, o assunto não dá muito mais do que boas piadas (ou nem tão boas assim) pela internet e conversas de bar.

Claro que com meio minuto de busca no youtube, os pessoal que colore os desenhozinhos da Veja teria encontrado informação assim:



Mas ao invés disso, é muito mais interessante estimular a criatividade do pessoal que faz charges e imagenzinhas engraçadas, divulgando o fato completamente insignificante de alguém ter achado mais uma razão pra escolher uma data randômica para o fim da vida na terra.

Nosso gibizinho também foi muito generoso divulgando de graça um novo filme de Hollywood. Muito bondosa esta caridade da editora Abril, já que é claro que o pequeno estúdio Columbia Filmes (parte do grupo Columbia Tristar que é propriedade de uma empresa japonesa pequena chamada SONY), jamais teria dinheiro suficiente para bancar uma publicidade tão grande na revista.

5 de nov de 2009

Design Inteligente? (Versão Brasileira...)

Físico Neil deGrasse Tyson numa apresentação bem humorada para refutar a teoria de que o universo foi criado para nós (reparem em quem está na platéia).



Mais uma legenda feita pelo blog, espero que curtam.

4 de nov de 2009

Metalinguagem Bloguística

Fiquei uns dias sem atualizar porcausa do feriadão. Resolvi tomar um tempo a mais para pensar sobre o que devo ou não postar aqui.

Queria agradecer ao pessoal que acompanha o blog, mas principalmente aos comentários nos posts, que além de me darem um feedback também me dão sempre oportunidade de esclarecer um pouco mais o que eu quero dizer.

Faz pouco mais de um mês que este blog existe, mas faz exatos 1 mês e 3 dias desde que instalei o contador de visitas. Eu realmente não esperava atingir este número de acessos em tão pouco tempo:


(1743 acessos a este blog)


Além do "obrigado" padrão, um grande abraço ao pessoal dos blogs que estão no canto esquerdo da tela, na sessão "Vale a Pena Ler" (porque realmente vale a pena lê-los), por terem me dado uma forte ajuda na divulgação.


Obrigado a todos!

31 de out de 2009

Aprendendo com Olavo de Carvalho

Sou de uma geração que está começando a tomar cada vez mais o controle da humanidade. Não por ocupar cargos de poder, mas por representar uma voz clara e cada vez mais audível nas tendências.

Com o surgimento de novas tendências, vem também a rejeição de um movimento evidente. De repente, você percebe que os valores sobre os quais construiu sua identidade passam a ser derrubados, e outros novos surgem. O que era hábito agora é imoral e o que era imoral agora se torna cotidiano.

Cada geração se constrói analisando, desmembrando e negando padrões da anterior numa forma de ver o mundo que se alastra como uma onda gigantesca e inexorável que chega devastadora e violentamente à costa.

Isso é um ponto básico em história da arte. Talvez por isso eles, os artistas e estudiosos da área, sejam os que vêem e aceitam com mais naturalidade essa espiralidade humana que é a dança de gerações.

A arrogância e o empenho de Olavo de Carvalho são na verdade manifestações desesperadas contra a morte de valores. Mas a morte do antiquado é inevitável e na verdade representa os equilíbrios inerentes às forças construtivas e descontrutivas da natureza. As mesmas responsáveis pela manutenção da vida.

É fácil entender toda essa revolta. Seus valores começam a ser derrubados e não há mais uma voz audível que os defenda. As novas tendências surgem com receptividade e força. Enquanto os resistentes, isolados, não são capazes de fazer frente a ela.

Com Olavo, isso se expressa em agressividade, prepotência e medo do futuro. Afinal muitos de seus preceitos estão indo para nunca mais voltar. "Sou o único isso", "sou o único aquilo", "não há no Brasil outro como eu". É verdade. Não há no Brasil outra voz que se expresse com tanta paixão contra o impacto de gerações.

A visão individualista, inerente às religões abraâmicas, vem sendo substituída pela priorização da coletividade. E isso traz uma negação do pensamento cristão, e essa rejeição chega acompanhada de uma forma de ver o mundo que tende ao materialismo científico.

Olavo então se torna uma espécie de Antônio Conselheiro cibernético, reunindo adeptos devido à sua habilidade na elaboração das palavras, profetizando apocalipses e expressando com eloqüência seu desespero por trazer de volta preceitos semi-mortos. Suas palavras contra a coletivização do indivíduo já foram ditas por diversas outras pessoas ao longo da história, e não apenas pelos autores que este caudilho brasileiro gosta de citar:

"A doutrina judaica do marxismo repele o princípio aristocrático na natureza. Contra o privilégio eterno do poder e da força do indivíduo levanta o poder das massas e o peso morto do número. Nega o valor do indivíduo, combate a importância das nacionalidades e das raças, anulando assim na humanidade a razão de sua existência e de sua cultura. Por essa maneira de encarar o universo, conduziria a humanidade a abandonar qualquer noção de ordem. E como nesse grande organismo, só o caos poderia resultar da aplicação desses princípios, a ruína seria o desfecho final para todos os habitantes da Terra." (Mein Kampf, Adolph Hitler)

Sua voz no Brasil gera um eco tão tímido quanto inaudível, o que o leva a refugiar-se na cultura norte-americana, já que o povo dos Estados Unidos possui uma forte tradição de resistência ao óbvio (vide as várias associações lá existentes com milhares de adeptos defendendo com unhas e dentes conceitos já há décadas ou séculos derrubados. Como o criacionismo, a terra plana, a freqüente intervenção alienígena e etc).

De fato, os danos causados por esse eterno movimento em espiral são muito menores do que aparentam, e em sentidos práticos a mudança tende a ser gradual. Aquela onda que atinge a costa é grande. Mas passado o impacto inicial, a costa logo se estabiliza e o cenário permanece muito pouco alterado. Os danos são remediados, os seres se adaptam às mudanças e a paisagem se estabiliza numa paz que dura até que chegue a onda da próxima geração.

Assim, logo a minha geração também estará se debatendo em revolta e agonia contra uma substituição eminente. E é aqui que podemos aprender com Olavo como não agir, mas ao invés disso aceitar, lidar e conviver com as mudanças que os novos tempos trarão.

27 de out de 2009

Criacionistas Doarão Milhares de 'Origem das Espécies'

Finalmente o pessoal que combate os evolucionistas ateus vai fazer algo que preste.

O livro de Charles Darwin "A Origem das Espécies", que propôs pela primeira vez o surgimento das espécies através de um processo evolutivo, será doado em várias universidades pelos Estados Unidos.

Tudo que os estudantes que ganharem os livros terão que fazer é ignorar as 50 primeiras páginas, cheias de baboseiras e mentiras que os cristãos inventaram e enfiaram no livro.

Confira o video promocional da campanha (dentre os legendados pelo blog, o mais divertido até agora):



Idéia genial! No fim, ninguém vai dar bola pra "apresentação clara do evangelho" que colocaram no começo do livro, mas de quebra vão ganhar uma cópia grátis do livro que mudou a história da biologia!

Gostei tanto da iniciativa que até mandei um e-mail para a organização que está promovendo isso pedindo que eles adotem isso aqui no Brasil também.

Quem quiser encher o saco deles também para que façam a mesma coisa aqui no Brasil, escreva pra lá: email@livingwaters.com.

24 de out de 2009

Como os Cultos Funcionam

Mais um video que saiu no blog Lost in the e-Jungle e legendei pra que os brasileiros também vejam.

Diane Benscoter fala um pouco sobre sua vida e como entrou para a seita do pastor coreano Sun Myung Moon, que levou ao maior suicídio coletivo da história humana.

Vale a pena assistir:

23 de out de 2009

Brasileiros Ensinando Como Não Cobrir um Evento

Rio ganhou! Hora da coletiva, hora de perguntar coisas que o povo todo quer saber como:

O retorno econômico vai compensar tudo que será gasto para trazer esse circo?
ou

É justo pagar com recursos federais um evento que trará benefícios, em sua maioria, apenas locais?

Dentre tantas outras milhares de questões que fervilharam na mente de qualquer brasileiro pensante. Mas ao invés disso a imprensa faz assim:




Ainda bem que a imprensa espanhola, ao contrário de boa parte do resto da mídia mundial, não está tão preocupada em puxar o saco do Nove-dedos:

Obrigado "deus" Por Todas as Tropas


Obrigado "Deus" por todas as tropas

Talvez tenham colocado aspas para não contrariar os ateus.

Achei aqui

22 de out de 2009

A Intervenção Alienígena (Versão Brasileira...)

Ano passado (2008) lançaram este filme:



É engraçado como o cara faz um draminha de perseguição ao redor de uma questão absurdamente idiota. O video é bizarro, e gerou milhares de videos no youtube (inclusive muitos feitos por cristãos) destroçando cada "argumento" que aparece no tal documentário. Gerou até uma polêmica na estréia por terem expulsado do cinema um ateu famoso (PZ Myers) que era entrevistado neste mesmo filme.

Até aí tudo bem, foi só mais um video sem pé nem cabeça feito por pessoas primitivas relutantes em admitir o óbvio.

Mas a razão de falar sobre isso aqui, é para postar este video que vi no blog Lost in the e-Jungle e legendei para o pessoal brasuca assistir:

19 de out de 2009

Pesquisadores Criam Buraco Negro de Bolso

Pelo menos era o que dizia o título de um artigo no site da revista Nature, publicado quinta-feira passada (15/10/2009).

Um buraco negro, a grosso modo, é como um planeta gigante compactado até ficar do tamanho de uma bola de gude. Como a força da gravidade exercida por um objeto depende da sua massa, um buraco negro possui uma gravidade tão forte que é capaz de atrair não apenas todos os objetos que estejam ao alcance do seu campo gravitacional, mas também a luz (por isso são "negros", toda a luz ao seu redor é absorvida pela gravidade).

Lembrando desta definição, dá de imaginar o estrago que faria um buraco negro que estivesse razoavelmente perto da terra, e pior ainda o que faria um mini buraco negro dentro da nossa própria atmosfera.

Por isso é fácil entender que todos os comentários no site da Nature, reclamavam do título da matéria, que fazia uma revista de séculos parecer ter a seriedade de uma edição de Caras.

Na verdade o que os pesquisadores fizeram foi uma espécie de "ressonador" magnético que suga microondas e a transforma em calor. Apesar de ser algo não tão impactante como um buraco negro de verdade, a descoberta tem inúmeras aplicações já imaginadas e muitas que provavelmente ainda serão pensadas (como nossa história mostra, às vezes levamos séculos para achar uma utilidade "inovadora" para uma novidade antiga).

Até o fim do ano, os pesquisadores Q. Cheng e T. J. Cui (que realizaram o estudo), pretendem fazer uma versão do dispositivo (que tem cerca de 20cm de diâmetro) que sugue não apenas microondas, mas também a luz visível.

Um fato importante, mas ofuscado pela falta de critério dos redatores do site que jogaram aleatóriamente as palavras "buraco" e "negro" na chamada mesmo sabendo que a descoberta é tão parecida com um buraco negro de verdade, quanto uma lâmpada em uma lanterninha a pilhas é parecida com o nosso sol.

Artigo na Nature (em inglês)
Mais sobre buracos negros

14 de out de 2009

Se a Ciência Fosse Nosso Deus

Ouço o tempo todo por aí: "a ciência é o deus da atualidade", ou "cientistas são religiosos devotando sua fé a outra coisa".

Se a adoração à ciência fosse a religião predominante:

- Leríamos "A Origem das Espécies" na escola, e teríamos acampamentos de verão para contemplar na prática as experiências genéticas de Mendel.

- Quando pensássemos em computadores, o primeiro nome que viria à cabeça seria Turing e não Bill Gates, Steve Jobs ou IBM.

- As revistas e telejornais citariam as fontes e teriam por hábito divulgar de onde tiram as informações que trasmitem, ou perderiam instantaneamente a credibilidade junto aos espectadores.

- Dalton seria nosso Moisés, e Albert Einstein seria nosso Jesus, dentre tantos outros "Moisés" e "Jesus" que existiriam e ainda viriam a existir nas diversas áreas do conhecimento.

- Discovery Channel e TV Cultura teriam a audiência de uma Globo ou Warner. E Globo e Warner seriam como aqueles canais de novela mexicana que ninguém assiste ou dá muita bola.

- Paulo Coelho venderia como um daqueles livros da prateleira debaixo da sessão de espritismo, e os livros de Carl Sagan dariam filmes melhores e mais assistidos do que os de Stephen King.

- Ser professor seria uma honra e um cargo extremamente respeitado, não apenas um caminho por falta de opção para os que são apaixonados por uma área com poucas opções de empregos que paguem de forma justa.



Enfim, a lista de diferenças da nossa sociedade para uma que realmente cultuasse a ciência seria imprevisivelmente gigantesca.

Se cultuássemos a ciência, adorariamos acima de tudo o conhecimento em todas as suas áreas. Teríamos fé na mensagem dos cientistas (historiadores, biólogos, matemáticos, sociólogos, etc...), mas por nossa própria história saberíamos que por mais certa que esta mensagem fosse hoje, amanhã ela poderia parecer ridícula diante das mensagens mais claras que virão.

E nisso teríamos fé também. Fé na incerteza da própria fé, e na certeza de que o estado atual desta religião é volátil e sujeito a novas descobertas ou interpretações mais apuradas das descobertas já registradas.

E isso destrói a idéia de uma religião.

8 de out de 2009

Religulous: como copiar a idiotice dos religiosos

Ontem eu estava vendo um debate do Dawkins com um matemático chamado John Lennox. Obviamente, Lennox representava a visão dos cristãos sobre o livro "Deus, um Delírio" (recém lançado na época). Foi a primeira vez que vi um cientista cristão argumentar com respeito e coerência... meu conceito sobre os cientistas cristãos realmente subiu um pouco no fim dos videos.

(Quem tiver paciência pra ver os 11 videos, clique aqui para ver a primeira parte... vale a pena!)

Por outro lado, lembrei quase imediatamente de um filme que assisti logo que foi lançado, no fim de 2008:



Protagonizado por um humorista, esse é um daqueles documentários em tom de comédia que não tem graça nenhuma. As melhores partes são as que estão no trailer, o que me deixou decepcionado já com meia-hora de filme.

Bill Maher passa praticamente o filme todo zombando de pessoas simples, fazendo perguntas que todos fazem há anos, e interrompendo os entrevistados o tempo todo.

O tipo de atitude completamente mal-educada e truculenta. Característica marcante nas pessoas que querem defender um ponto de vista para o qual não se tem uma justificativa racional... e infelizmente Maher nesse filme faz a não-crença parecer um destes casos.

7 de out de 2009

Deus, o Chefe da Mafia

Enquanto estou escrevendo um post de verdade, aí vai um excelente trecho de um programa que assisto há anos.
Inclusive tentei ligar pra eles quando eu estava nos EUA, mas deu sempre ocupado =(

Reparem que no fundo há a grande imagem do nosso deus Pasta :D

Parte1


Parte2


(Este é um programa Ateísta aonde os apresentadores abrem o telefone para responder argumentos das pessoas sobre a existência de deus e outros aspectos da fé)

É triste ver o quão necessário esse tipo de programa ainda é necessário e o quanto as pessoas gostam de ignorar a própria capacidade de raciocínio.

Numa sociedade coerente, isso seria completamente dispensável, porque todos veriam o absurdo que é a tal da fé.

5 de out de 2009

Copa, Olimpíadas e Outras Piadas de Brasileiro

Ser brasileiro às vezes é como uma religião: você aceita o que dizem e faz o que mandam sem questionar ou pensar muito, ou será obrigado a ter a experiência desagradável de ver que está no meio de um monte de besteiras que não fazem o menor sentido.

Da educação à economia, segurança ao meio-ambiente. Nossas posições e atitudes como nação chegam a parecer piada.

Mas o foco do momento, está no feito do grande profeta da nossa religião tropical. Depois da copa de 2014, Lula conseguiu trazer as tão faladas olimpíadas de 2016. Nosso presidente deve ter sido inspirado pela excelente colocação do país nas últimas olimpiadas na China, afinal em 23º lugar, ficamos atrás apenas de grandes potências como: Etiópia, Ucrânia, Jamaica, Quênia, Hungria e etc.

Olha que apoio incrível nós damos...

Na Natação:


"Desde que me tornei profissional, em março, paguei tudo: alimentação, hospedagem, e até meu técnico (o australiano Brett Hawke)". (Cesar Cielo)

No Judô:


"Eu acho que é muito complicado você pedir, e você cobrar um resultado sendo que há três anos antes [das olimpíadas] o atleta não tem nem dinheiro para comprar um suplemento que é o que a maioria dos americanos e em qualquer outro país o cara vai ter" (Natália Falavigna)

No Volei:


Resposta da Globo explicando o porque não diz o nome de times mantidos por empresas, um dos motivos que levou o time de volei da Unisul, que possuia vários atletas famosos, a ser fechado: "Do ponto de vista editorial, a citação indiscriminada de marcas comerciais por parte de narradores, comentaristas e repórteres poderia induzir o público a erro de julgamento quanto a independência, isenção e integridade que estes profissionais obrigatoriamente devem manter com relação a equipes e eventos esportivos". (leia matéria)


Na Ginástica
:

"Eu me sinto bastante desvalorizado e elas [Jade e Daniele] também, porque aqui temos um bicampeão mundial, atletas que já foram à Olimpíada e medalhistas de Copa do Mundo. Como a gente vai manter nosso padrão de treino sem ter condições mínimas?" (Diego Hipólito)

1 de out de 2009

O que a mídia não é

(um post sem firulas)

A forma com que o grande público lida com a mídia como um todo é praticamente uma religião (um campo aonde o pensamento lógico não alcança). Todo mundo quer projetar seu complexo underground no grande demônio massificador.

Os marxistas acham que a mídia é um instrumento burguês de propagação do conformismo na massa operária. Os neo-liberais culpam a mídia por difundir abertamente ideais de esquerda.

Os evangélicos acham que a televisão é do demônio, e está aqui como um instrumento do capeta para levar o mundo mais rápido pro dia do juízo final. Já os ateus, acham que os meios de comunicação continuam passando discretamente ideais judaico-cristãos e embelezando o ato da fé.

Existe até um filosofinho brasileiro (uma hora ou outra virá um post sobre ele aqui no blog) que acha que a mídia mundial é controlada por um grupo multibilionário que propaga os ideais demoníacos e genocidas do comunismo.

Os são-paulinos acusam a globo de ser corintiana e os corintianos dizem que a globo na verdade é flamenguista.

É interessante também como cada um grupos citados só aplica esta lógica (de ver como ideal propagado pela mídia tudo aquilo que é ruim) aos aspectos que lhe interessa.

O marxista barbudo discorda fortemente daqueles ideais burgueses recebidos pelos aparelhos de TV, mas teme o aquecimento global e adora uma Skol (afinal ela desce redonda).

O beatinho da Igreja Universal acha que as novelas são controladas por uma força satânica (através de pessoas que fizeram pacto com o diabo... lembra da Xuxa?), mas drogas? Eles repetem: "Tô fora!", "Nem morto", "Crack nem pensar". Prefiro esporte, porque "esporte é saúde" e "criança no esporte é criança longe das drogas".



O que a mídia é:

A tal da mídia é uma EMPRESA (ou um grupo de empresas)! E tudo o que uma empresa faz visa direta ou indiretamente o lucro. A Natura divulga ser uma empresa ecologicamente correta não porque ela é boazinha, mas porque isso é uma excelente estratégia de marketing!

É realmente estranho o quanto as pessoas relutam para ver e admitir isso: Só porque deu na TV não quer dizer que é verdade... muito menos quer dizer que é mentira! Simplesmente não quer dizer nada!

28 de set de 2009

A Piada Anti-Drogas

Os clichês:

1) O marido chega tarde em casa, bate na mulher. O bafo de onça denuncia: está fora de si e a culpa é da bebida!

2) O filho adolescente, que antes tirava notas boas e ajudava em casa, agora some demanhã, passa o dia sabe-se-lá-com-quem fazendo sabe-se-lá-o-que sabe-se-lá-aonde (mas se sabe que com certeza não está indo pra escola). Pelo cheiro nas roupas e olhos vermelhos os pais logo concluem: "a maconha estragou nosso filho".

Os fatos:

Esses dois clichês são tão repetidos que às vezes todo mundo parece esquecer o quão ridículos eles são. A argumentação é longa, mas vou resumir em dois fatos:

1) Estes entorpecentes (legais ou ilegais) simplesmente NÃO SÃO CULPADOS por atitudes. Eles apenas realçam algum aspecto que já existia na pessoa que está sob efeito de uma droga.

O psicólogo Arilton Fonseca, num estudo divulgado como sendo uma comprovação científica da relação entre álcool e violêcia doméstica diz: "É muito mais fácil perdoar quando o agressor bebeu. A vítima considera o álcool o culpado e não o violentador. Acredita que, quando sóbrio, a rotina de violência cessa."



Ou seja, a pessoa agredida quer acreditar que o agressor só é assim violento porcausa do álcool, e o agressor quer convencer (aos outros e a si mesmo) de que a violência é fruto da bebida, assim ele foge da responsabilidade dos próprios atos.

Quanto ao clichê número 2 (o do filho adolescente que não vai mais pra aula), a situação é exatamente a mesma. Os pais não querem acreditar que o filho escolheu agir assim. E o filho, quer que acreditem que ele foi influenciado (por alguém ou por alguma coisa) a fazer o que faz. Assim é fácil ser perdoado e continuar ganhando a mesada.


2) Vamos fingir que o fato 1, explicado a cima, esteja errado. Vamos supor que os entorpecentes de uma forma geral, possuem alguma propriedade capaz de deformar completamente a personalidade de algumas pessoas.

Continuando a hipótese fictícia, se eu bebo e o álcool acaba forçando a minha mão a bater repetidamente contra o rosto da minha esposa, ou se quando fumo maconha, o THC faz com que eu fuja da escola, é óbvio que nunca mais vou consumir nenhuma destas duas substâncias!



Se a pessoa sabe que a tal substância manipuladora controla seu corpo e o força a fazer coisas que trazem sofrimento pra si e para os outros ao redor, e ainda assim ESCOLHE conscientemente que vai tomar mais uma dose, não é a substância que deve ser responsabilizada e proibida, mas esta pessoa é que é diretamente culpada e precisa de tratamento psicológico.

24 de set de 2009

O Que É Pastafari?

Todo mundo fica me perguntando isso quando vê o blog ou minha descrição no msn. Pros que ainda não sabem (apesar de esta brincadeira já ter se espalhado por toda a internet), aí vai uma explicação simples e resumida:

Pastafari é o cara que "acredita" no deus Monstro Espaguete Voador (MEV). E sim, pastafari foi copiado rastafari. Na verdade é um rastafari que adora o deus Pasta. Se você se perguntou "pasta igual a macarrao em inglês?" acertou. Traduzindo literalmente, a "religião" se chamaria Macarrãofari ou Espaguetafari

As tantas aspas do parágrafo de cima estão ali porque é claro que ninguém realmente leva a sério essa besteira. Ninguém seria tolo o bastante para acreditar numa bola divina de macarrão com duas almôndegas no meio (ironia?).

Essa paródia foi criada por um americano para satirizar um movimento cristão nos EUA que busca formalizar o ensino do criacionismo (é, aquela historinha que diz que deus criou tudo e pronto) contra as aulas normais sobre a teoria da origem das espécies de Darwin.

Portanto quando você encontrar alguém que se diz Pastafari, vai saber que essa pessoa não apenas é contra o criacionismo como também gosta de lidar sobre o assunto com bom-humor e ironia (na minha opinião, a única forma de lidar com pessoas que não respondem bem a argumentos lógicos).

Símbolo pastafari:


A sigla FSM (Flying Spaghetti Monsterism) quer dizer Monstro Espaguete Voador

Mais imagens das aparições do divino Monstro Voador em igrejadomev.blogspot.com

Cadê as fontes? Qual o nome do inventor? Que ano foi? Blá blá blá...

23 de set de 2009

A Razão Virando Pop?

Depois de ter crescido ouvindo a Xuxa dizer "tudo que eu quiser um cara lá de cima vai me dar" (eu realmente via ela como uma rainha), e o Bon Jovi cantando meloso "Right now we got to keep the faith" ("Bem agora temos que manter a fé"), sem nunca parar pra pensar em "A arte é de viver da fé, só não se sabe fé em que", soa como um indício de esclarecimento coletivo ver letras como algumas de Jack Johnson e John Mayer.

Jack Johnson, apesar de gastar quase toda a letra de seus 3 CDs de estúdio criticando a sociedade e principalmente a mídia, fala explicitamente apenas na música "It's All Understood" dos problemas relacionados à crença:
"Estava lendo um livro,
ou talvez fosse uma revista
Sugestões de onde colocar a fé
Sugestões de no que acreditar
Mas o BOM LIVRO é bom
e isso é bem entendido,
então nem questione,
se é que me entende
É tudo relativo,
especialmente quando você não entende"

E assim continua nas frases ácidas até o fim da música. Se isso gera felicidade em algumas poucas mentes racionais por ver mais um excelente artista popular divulgando o esclarecimento neste aspecto, essa alegria não dura muito ao ver que ele usa o "deus abençoe a todos" nos seus shows.

Bem, ao menos ele diz assim:
"...vejo as bandeiras americanas nas casas e carros e os dizeres 'deus abençoe a América' o tempo todo. O que é bom, mas acho que deus quer abençoar a todos na terra, e não apenas aos americanos"
(Leia a parte 2)

A Razão Virando Pop? (parte 2)

(chegou agora? Leia a parte 1 aqui)

Em letras bem mais suaves e um som bem mais blues que Jack Johnson, mas mantendo as críticas à sociedade e sua televisão, John Mayer diz em "Belief" ("Crença"):
"A crença é uma armadura bonita
mas se torna a espada mais pesada
como dar um soco na água
você nunca consegue atingir quem quer
Alguns conduzem a exibição
e alguns têm que saber que tentaram

É uma arma química
para a guerra que enfurece por dentro
Oh, todo mundo acredita
Do vazio a tudo
Oh, todo mundo acredita
e ninguém vai silenciosamente
...
O que põe cem mil crianças na areia?
A crença consegue
O que põe uma bandeira dobrada nas mãos de uma mãe?
A crença consegue"


Tudo isso pode ser um indício de mudança do pensamento popular, ou pode não significar nada. Afinal o Metallica, no Black Album (1991), que vendeu mais de 25 milhões de cópias, já criticava fortemente o "deus que falhou" na música com o mesmo nome ("The God That Failed").



Mas o Metallica era uma banda de Metal, ou seja, aqueles cabeludos de preto que criticam a tudo raivosamente e apesar de na época estarem em todas as rádios e MTVs, ninguém realmente se importa com o que falam. Mais ou menos como o System of a Down nos últimos anos criticando o sistema americano e sua máquina de produzir guerras.

De qualquer forma o ato de criticar a fé (que é cega por definição) parece estar se tornando popular. Difícil dizer se é por termos mais artistas pensantes ou apenas porque a indústria fonográfica procura atingir o crescente mercado de não-crentes (ou crentes mas questionadores, se é que isso existe).

Os dois casos representam uma popularização do uso do raciocínio lógico aplicado a todos os âmbitos da vida. O que é um passo fundamental para o início do processo de construção de uma sociedade mundial equilibrada.

Se você quiser ouvir as músicas citadas do Jack Johnson, só conferir o blog do Eterno Contestador: http://gamesediversoes.blogspot.com/2007/09/jack-johnson-discografia.html

22 de set de 2009

Em nome do debate?

Muitos debates tem pipocado cada vez mais por todo o lado.
Debates de todo tipo, o importante é debater.

Todo mundo "apóia" o "livre debate" de "idéias", porque soa tão politicamente correto que se alguém se recusa a entrar nesse joguinho fútil de idéias parciais, imediatamente já é tido como o lado errado da polêmica em questão.

Só que as polêmicas só chegam a ser tão turbulentas, porque de alguma forma mexem em pontos que se confundem com a própria identidade de um grupo razoavel de pessoas.

Esse é o caminho que faz o pensamento torto e inconsciente dos grupos que se reúnem ao redor de uma discussão: "Meus valores são meu eu, questione um deles e você estará questionando a minha própria formação. E isso me ofende profundamente".

Assim se faz com que o lado conservador parta pra cima de qualquer um que tenha a ousadia de sugerir mudanças, com uma fúria tão voraz que o tal "debate livre de idéias" na verdade vira só um nome para a versão moderna de apedrejamento em praça pública.

Logo o outro lado não deixa por menos, e começa a rebater na mesma moeda.

Assim temos dois lados, cuspindo insultos ou fatos distorcidos disfarçados de idéias. E a mídia (Fox News e Globo adoram) aplaudindo, transmitindo em cadeia nacional e transformando cada xingamento em ponto no ibope.

Se era pra ser assim, valia mais reprisar o filme novo do Steven Seagal.