23 de set de 2009

A Razão Virando Pop? (parte 2)

(chegou agora? Leia a parte 1 aqui)

Em letras bem mais suaves e um som bem mais blues que Jack Johnson, mas mantendo as críticas à sociedade e sua televisão, John Mayer diz em "Belief" ("Crença"):
"A crença é uma armadura bonita
mas se torna a espada mais pesada
como dar um soco na água
você nunca consegue atingir quem quer
Alguns conduzem a exibição
e alguns têm que saber que tentaram

É uma arma química
para a guerra que enfurece por dentro
Oh, todo mundo acredita
Do vazio a tudo
Oh, todo mundo acredita
e ninguém vai silenciosamente
...
O que põe cem mil crianças na areia?
A crença consegue
O que põe uma bandeira dobrada nas mãos de uma mãe?
A crença consegue"


Tudo isso pode ser um indício de mudança do pensamento popular, ou pode não significar nada. Afinal o Metallica, no Black Album (1991), que vendeu mais de 25 milhões de cópias, já criticava fortemente o "deus que falhou" na música com o mesmo nome ("The God That Failed").



Mas o Metallica era uma banda de Metal, ou seja, aqueles cabeludos de preto que criticam a tudo raivosamente e apesar de na época estarem em todas as rádios e MTVs, ninguém realmente se importa com o que falam. Mais ou menos como o System of a Down nos últimos anos criticando o sistema americano e sua máquina de produzir guerras.

De qualquer forma o ato de criticar a fé (que é cega por definição) parece estar se tornando popular. Difícil dizer se é por termos mais artistas pensantes ou apenas porque a indústria fonográfica procura atingir o crescente mercado de não-crentes (ou crentes mas questionadores, se é que isso existe).

Os dois casos representam uma popularização do uso do raciocínio lógico aplicado a todos os âmbitos da vida. O que é um passo fundamental para o início do processo de construção de uma sociedade mundial equilibrada.

Se você quiser ouvir as músicas citadas do Jack Johnson, só conferir o blog do Eterno Contestador: http://gamesediversoes.blogspot.com/2007/09/jack-johnson-discografia.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário